Prefeitura de Arujá
Jovens aprendizes iniciam funções
08-11-2018
Quarenta e dois jovens aprendizes iniciaram nesta terça-feira (06/11) suas funções administrativas nos mais diversos setores e Secretarias da Prefeitura de Arujá. O programa gerido pela Secretaria de Assistência Social tem o objetivo de garantir aos adolescentes atendidos uma boa primeira experiência de trabalho, capacitações semanais e desenvolvimento profissional.

Nataly Ranna de Jesus Santos, de 16 anos, Raphael Alves da Silva, 18, e Joice Silva Batista, 17, estão entre os jovens contemplados nesta primeira fase do programa. Eles prestarão serviços em departamentos das Secretarias de Habitação, Planejamento e Finanças e, em comum, carregam a expectativa de adquirir conhecimento profissional.

Nataly explica que foi inscrita pela mãe e demonstra felicidade para exercer uma “experiência única” em um órgão público enquanto conclui o ensino médio na Escola Estadual Professor Edir Paulino Albuquerque e aguarda para estudar psicologia ou terapia ocupacional.

Silva era jovem aprendiz no Fórum de Arujá e rompeu o próprio contrato para inscrever-se no programa da Assistência Social. Aluno da E.E. República Dominicana, o morador do Parque Rodrigo Barreto pretender concluir o contrato mais preparado que atualmente. “A expectativa é aprender muito e sair com bastante experiência para encarar o mercado de trabalho”, diz.

Em busca de emprego desde o início do ano, Joice afirma que o objetivo agora é “se destacar”. “Fazer um bom trabalho e quem sabe ser efetivada (são as metas). Estava precisando da oportunidade e fiz tudo que era necessário para me inscrever no programa, levei minha mãe para assinar e depois fiquei ansiosa pelo resultado”, relata.

Capacitação

Conforme explica a secretária de Assistência Social, Maria Luzia Bortone Salles Couto, 360 jovens inscreveram-se para o programa, 130 foram pré-selecionados e 42 entraram na primeira chamada de convocação. Encerrados os contratos atuais, os próximos inscritos da lista serão convocados a prestar serviços, assim como ocorre no programa Frente de Trabalho.

Ainda segundo a secretária, desde a etapa de inscrições houve a percepção de que a prioridade tem de ser a capacitação de todos os jovens atendidos.

“Eles vão prestar serviços nos seus departamentos e uma vez por semana fazer cursos. O que mais queremos é que tenham uma primeira experiência de trabalho profundamente exitosa”, afirma.

Programa federal, o Jovem Aprendiz possui particularidades implantadas pela Secretaria Municipal: atender somente pessoas de famílias assistidas pela Pasta que tenham Número de Identificação Social (NIS) e oferecer oficinas e workshops também para quem não está na lista de convocados.

“São coisas importantes adaptadas para a realidade de Arujá. Se neste momento não podemos atender aos 130 com a prestação de serviço nas unidades, que possamos dar cursos e capacitações para que estejam mais preparados para o mercado de trabalho e a iniciativa privada. É uma oportunidade que também vai de encontro ao que propõe o prefeito José Luiz Monteiro”, explica.

Para quem ficou de fora da primeira lista serão oferecidas ações com foco na superação da timidez, em testes vocacionais, marketing pessoal, criatividade e inovação, entre outras. O investimento será custeado com repasses do Programa de Promoção do Acesso ao Mundo do Trabalho (Acessuas Trabalho), do Ministério de Desenvolvimento Social.

Preparação

Antes de iniciarem as funções, os 42 jovens convocados participaram de um workshop preparatório no Centro de Convivência da Criança e do Adolescente central. A atividade foi ministrada pela monitora do curso de secretariado da unidade, Elisangela Rachoni Lopreato, e abordou postura e conduta no trabalho, pontualidade e assiduidade, além das relações humanas e a importância do primeiro emprego na formação profissional.

Lei

O Programa Jovem Aprendiz foi instituído pela Lei Municipal 3.038, de 29 de junho de 2018, e regulamentado pelo Decreto 6.991, de 29 de agosto.  Os documentos estão disponíveis no site da Prefeitura.
Veja também